WARAO

Foto abertura.jpg

 

Originários da Venezuela, mais precisamente do delta do Orinoco, possuem idioma próprio e dominam outras línguas, sendo o mais frequente o espanhol. Compõem uma população de aproximadamente 49 mil pessoas. Grande parte deles são produtores de um belo artesanato. Frente aos diferentes processos que atravessaram, encontramos entre eles agentes de saúde, professores, pintores e muitas outras ocupações.

 

28438791907_a5e86c3569_k.jpg

Foto: Bruno Percut, Operação Acolhida
https://www.flickr.com/photos/oper_acolhida/28438791907/

Com os sucessivos processos de invasão e interferência em seus territórios, os Warao iniciaram na década de 1920 um processo de deslocamento interno à Venezuela. Na década de 1960, com a construção do dique no Rio Manamo e a mudança nos regimes das águas, o processo de deslocamento interno se intensificou. A partir de 2016, com a crise política, econômica e humanitária instalada na Venezuela, os deslocamentos transbordaram para os países vizinhos.

Captura_de_Tela_2020-08-17_às_21.39.31.

Foto: Victor Moriyama

O Acnur estima que hoje existam cerca de 5 mil indígenas Venezuelanos no Brasil. Desses, mais de 3 mil são Warao e os demais dividem-se entre Kariña, E’ñepa e Pemon. Sua presença é registrada em quatro regiões do Brasil: Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. Na Paraíba há núcleos estabelecidos em João Pessoa e Campina Grande, mas também já foram registradas sua presença nas cidades de Sousa e Patos.

Captura_de_Tela_2020-08-17_às_21.41.49.

Foto: Victor Moriyama

Potiguara

TABAJARA